27 nov 2020

Bolsa do suíno registra queda de até 16,5%

A oferta acima da demanda registrada nos últimos dias interrompeu o movimento de alta nos preços do suíno vivo negociado no mercado independente, cenário que vinha sendo observado desde junho. Confira os números da semana aqui!

Bolsa do suíno registra queda de até 16,5%

A oferta acima da demanda registrada nos últimos dias interrompeu o movimento de alta nos preços do suíno vivo negociado no mercado independente, cenário que vinha sendo observado desde junho. De acordo com pesquisadores do Cepea, de modo geral, enquanto a produção vem se recuperando, resultando até mesmo em “sobras” em algumas granjas, a demanda se enfraqueceu nos últimos dias, o que pode estar relacionado ao período de segunda quinzena do mês, quando o poder de compra da população diminui.

 

Segundo informações da Associação dos Suinocultores do Estado de Minas Gerais (ASEMG), a bolsa de suínos do Estado, realizada nesta quinta-feira (26), acordou  o valor de R$7,60 para a comercialização do quilo do suíno vivo em Minas Gerais. O preço tem validade entre sexta-feira (27/11) a quinta-feira (03/12), quando haverá nova discussão entre as partes. Com esse valor a bolsa registra uma queda de 16,5%.

Ipvs 2022 CHR-HANSEN

Alvimar Jalles, Consultor de Mercado da ASEMG avaliou a variação na bolsa e explica:

É muito comum que quando a demanda se enfraquece a oferta se intensifica. E o contrário também é verdadeiro. Esta queda de preços veio dessa dinâmica: uma pequena diminuição de demanda dos consumidores e frigoríficos seguida de um forte aumento de oferta pelo produtor. Mas é fato também que temos diminuição de renda da população pela inflação e redução do auxílio emergencial. Em resumo, nesse momento o conjunto de expectativas é desfavorável retroalimentando a “força vendedora”. Só variáveis concretas que podem alterar isso. Temos que olhar semana a semana esperando que o dezembro nos ajude a reposicionar o mercado.

Também nesta quinta-feira (26), Santa Catarina negociou os suínos no mercado independente, e os valores passaram de R$ 9,36/kg para R$ 8,08/kg vivo. Queda na bolsa de R$ 13,7%. A Associação Catarinense de Criadores de Suínos tem a projeção de comercialização para a próxima semana de 17.854 animais, com peso médio de 113 kg, num preço médio de R$8,08 com prazo estimado de 21 dias.

Já no estado de São Paulo a Associação Paulista de Criadores de Suínos acordou a bolsa de suínos também nesta quinta a R$ 8,00, registrando uma queda de 11,8% frente aos R$9,07 negociados na semana passada.

 A recente retração nos preços no mercado de suínos, percebido desde a quinta-feira (19) aponta para uma adequação de valores ao comportamento do consumidor, que recuou nas compras da proteína. Os preços devem seguir caindo até que voltem a um patamar em que o consumidor brasileiro retome as compras.

Em contrapartida os custos de produção com insumos da alimentação continuam elevados, a saca do milho de 60 kg está sendo negociada de R$79,00 a 85,00 e a tonelada da soja atingindo R$2.705,00.

Fonte: Redação SuínoBrasil.

Relacionado com Mercado

REVISTA SUÍNO BRASIL

Inscreva-se agora para a revista técnica de suinocultura

EDIÇÃO Revista SuínoBrasil 2º Trimestre 2022

JUNTE-SE À NOSSA COMUNIDADE SUÍNA

Acesso aos artigos em PDF
Informe-se com nossas newsletters
Receba a revista gratuitamente na versão digital

DESCUBRA
AgriFM - Los podcast del sector ganadero en español
agriCalendar - El calendario de eventos del mundo agroganaderoagriCalendar
agrinewsCampus - Cursos de formación para el sector de la ganadería