21 maio 2020

Exportações do Agro crescem 5,9% de janeiro a abril

Soja em grãos, carne bovina e frango foram os principais destaques. China foi destino de 38% dos embarques nos quatro primeiros meses deste ano. As exportações do agronegócio brasileiro registraram receita de US$ 31,4 bilhões no acumulado de janeiro a abril deste ano, alta de 5,9% (US$ 1,75 bilhão) em relação ao mesmo período de […]

Soja em grãos, carne bovina e frango foram os principais destaques. China foi destino de 38% dos embarques nos quatro primeiros meses deste ano.

As exportações do agronegócio brasileiro registraram receita de US$ 31,4 bilhões no acumulado de janeiro a abril deste ano, alta de 5,9% (US$ 1,75 bilhão) em relação ao mesmo período de 2019, de acordo com a Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA).

Os principais produtos responsáveis por essa elevação em termos de faturamento foram a soja em grãos (US$ 11,5 bilhões), a carne bovina in natura (US$ 2,1 bilhões) e carne de frango in natura (US$ 2,0 bilhões), que responderam por 50% das vendas do agronegócio brasileiro no mercado internacional, com aumentos de 28,2%, 26,5% e 1,4%, respectivamente.

China, União Europeia e Estados Unidos foram os principais destinos dos produtos do agro no período. O país asiático importou do Brasil US$ 11,8 bilhões ou 38% da pauta brasileira em produtos do segmento, enquanto o bloco europeu e os EUA compraram os montantes de US$ 5,1 bilhões e US$ 1,9 bilhão.

CHR-HANSEN Vetanco SuinoBrasil

“O mês de abril ficou marcado por um grande aumento nas vendas de soja em grãos para a China, o que contribuiu para o crescimento do resultado do quadrimestre. Entretanto, trouxe um perfil ainda mais concentrado para as exportações brasileiras, visto que outros setores registraram quedas significativas”, diz a CNA.

As compras chinesas de carne bovina brasileira subiram 138% de janeiro e abril deste ano na comparação com os quatro primeiros meses de 2019, totalizando US$ 1,1 bilhão. Em relação à carne de frango, o país asiático comprou US$ 150,9 milhões a mais em relação ao primeiro quadrimestre do ano passado, o que somou US$ 457,4 milhões em vendas.

Os embarques de carne suína do Brasil para a China, maior consumidor desta proteína animal no mundo, subiram 221,5%. “Com a perda de grande parte de seu rebanho devido à PSA, os chineses tiveram que se voltar ao mercado internacional na tentativa de suprir parte da demanda doméstica, o que levou as exportações brasileiras ao país dispararem”, explica a Confederação.

Outras duas commodities brasileiras que registraram alta no período foram algodão e açúcar. A pluma foi altamente demandada na Ásia, sendo a China detentora do maior aumento nas compras do produto, com variação positiva de 79%. O Paquistão aumentou expressivamente as importações do produto brasileiro (904%), seguido por Vietnã (156%) e Turquia (108%).

Em relação ao açúcar em bruto, Bangladesh, Arábia Saudita e Indonésia compraram, em conjunto, mais US$ 514,8 milhões do Brasil. No caso do açúcar refinado, a expressiva alta veio das compras da Venezuela e de países africanos (Gana e Senegal principalmente). (CNA)

Relacionado com Exportações

REVISTA SUÍNO BRASIL

Suscribete ahora a la revista técnica de avicultura

EDIÇÃO Revista SuínoBrasil 2º Trimestre 2022
IPVS 2022 novas perspectivas da suinocultura: biossegurança, produtividade e inovação

IPVS 2022 novas perspectivas da suinocultura: biossegurança, produtividade e inovação

Fernanda Radicchi Campos Lobato de Almeida
Intestino, o maior órgão imune do organismo – Parte 1

Intestino, o maior órgão imune do organismo – Parte 1

Cândida Azevedo Henrique Cancian
Complexos multi-enzimáticos melhoram a digestibilidade e desempenho nos suínos

Complexos multi-enzimáticos melhoram a digestibilidade e desempenho nos suínos

Equipe Adisseo
Diversidade microbiana intestinal de suínos e quadros de disenteria suína

Diversidade microbiana intestinal de suínos e quadros de disenteria suína

Amanda G. S. Daniel Roberto M. C. Guedes
Nutrição sustentável de suínos

Nutrição sustentável de suínos

Carlos Alexandre Granghelli Cristiane Soares da Silva Araújo Lúcio Francelino Araújo Luiz Antônio Vitagliano
Rotavirose suína: epidemiologia, patogenia, sinais clínicos, diagnóstico e controle da doença

Rotavirose suína: epidemiologia, patogenia, sinais clínicos, diagnóstico e controle da doença

João Paulo Zuffo Jônatas Wolf Ricardo Yuiti Nagae
Encontro Regional ABRAVES-PR 2022

Encontro Regional ABRAVES-PR 2022

Avaliação da eficácia de um inativador de micotoxinas frente a um adsorvente em leitões na fase de creche

Avaliação da eficácia de um inativador de micotoxinas frente a um adsorvente em leitões na fase de creche

Equipe técnica de suínos da Vetanco
A evolução da suinocultura brasileira e a  importância da realização do 10º IPVS (International Pig Veterinary Society) em 1988

A evolução da suinocultura brasileira e a importância da realização do 10º IPVS (International Pig Veterinary Society) em 1988

Luciano Roppa
A vida intrauterina pode influenciar o desenvolvimento gastrointestinal dos suínos?

A vida intrauterina pode influenciar o desenvolvimento gastrointestinal dos suínos?

Ana Luísa Neves Alvarenga Dias Fernanda Radicchi Campos Lobato de Almeida Fernanda Radicchi Campos Lobato de Almeida Letícia Pinheiro Moreira Thais Garcia Santos
Fêmeas hiperprolíficas: existe manejo ideal durante a lactação?

Fêmeas hiperprolíficas: existe manejo ideal durante a lactação?

César Augusto Pospissil Garbossa
Desequilíbrio entre a oferta e demanda de carne suína e os impactos na rentabilidade do setor

Desequilíbrio entre a oferta e demanda de carne suína e os impactos na rentabilidade do setor

Wagner Yanaguizawa

JUNTE-SE À NOSSA COMUNIDADE SUÍNA

Acesso aos artigos em PDF
Informe-se com nossas newsletters
Receba a revista gratuitamente na versão digital

DESCUBRA
AgriFM - Los podcast del sector ganadero en español
agriCalendar - El calendario de eventos del mundo agroganaderoagriCalendar
agrinewsCampus - Cursos de formación para el sector de la ganadería