30 ago 2021

PSA na Alemanha: mais de 2.000 javalis infectados

No dia 09 de setembro, a  Alemanha completa um ano da notificação do 1º caso da Peste Suína Africana (PSA), e neste período, o país já ultrapassou a marca de 2.000 javalis infectados. Entenda como a doença se espalhou na divisa Alemanha, Polônia!

PSA na Alemanha: mais de 2.000 javalis infectados

No dia 09 de setembro, a  Alemanha completa um ano da notificação do 1º caso da Peste Suína Africana (PSA), e neste período, o país já ultrapassou a marca de 2.000 javalis infectados.

 

Na semana passada, a contagem subiu para 2.036. Desde que o vírus PSA foi descoberto em território alemão, em 9 de setembro, ele se espalhou por oito distritos em dois estados, Brandemburgo e Saxônia. Todos os distritos são adjacentes à fronteira com a Polônia, onde o vírus não está sob controle.

CHR-HANSEN agriNews FM pt

As mais recentes adições à lista de distritos infectados são Barnim (julho) e Uckermark (agosto), há indícios de que o vírus está se espalhando para o norte, paralelo à fronteira polonesa. Na verdade, a propagação segue-se a surtos do outro lado da fronteira. Em linha reta, o vírus está agora a menos de 30 km da fronteira do estado com Mecklenburg-Vorpommern, o terceiro estado alemão que faz fronteira com a Polônia. Até agora, este é o único estado não afetado.

O padrão relatado de restos mortais de javalis na Alemanha é um pouco típico quando comparado com a situação na Polônia. O número de surtos notificados na Alemanha foi alto no inverno e relativamente baixo no verão. Na Alemanha, após uma calmaria inicial, os meses de junho e julho renderam muitas carcaças infectadas. Julho liderou a lista, com 309 javalis infectados.

Saxônia: cães farejadores são usados para rastrear javalis mortos

As autoridades da Saxônia anunciaram que cães farejadores especiais concluíram seu treinamento. Eles estão prontos para serem usados para ajudar na vigilância ativa para encontrar carcaças de javalis.

 

Polônia registra menor número de carcaças de javalis 

Do outro lado da fronteira com a Polônia, a situação reflete a dos meses de verão, com um número relativamente menor de carcaças infectadas detectadas, embora a contagem no oeste da Polônia seja maior do que no ano passado. Em todo o mês de julho de 2020, por exemplo, foram relatados um total de 66 javalis positivos para PSA. Este ano, esse número estava em 115. Para colocar as coisas em perspectiva: o mês mais pesado na Polônia Ocidental até agora foi fevereiro de 2021, com 524 carcaças de javalis infectadas.

No total, desde a primeira descoberta de PSA na Polônia Ocidental, naquela parte do país, até agora, 5.340 javalis infectados foram encontrados até este fim de semana.

Vírus da PSA se espalha

Curiosamente, parece que o vírus se comporta como uma pedra que é jogada na água. Aos poucos, ondas de surtos se espalharam em todas as direções. No mapa desta semana, é possível visualizar que onde ocorreram os primeiros casos, não há mais casos novos relatados. Em contrapartida, em um raio de cerca de 50 km, em todos os lugares surgem casos.

Fonte: Pig Progress.

 

 

Dois centros de atividade do vírus exigem atenção:

 

Fonte: Pig Progress.

Relacionado com Controle Sanitário

REVISTA SUÍNO BRASIL

Suscribete ahora a la revista técnica de avicultura

EDIÇÃO Revista SuínoBrasil 2º Trimestre 2022
IPVS 2022 novas perspectivas da suinocultura: biossegurança, produtividade e inovação

IPVS 2022 novas perspectivas da suinocultura: biossegurança, produtividade e inovação

Fernanda Radicchi Campos Lobato de Almeida
Intestino, o maior órgão imune do organismo – Parte 1

Intestino, o maior órgão imune do organismo – Parte 1

Cândida Azevedo Henrique Cancian
Complexos multi-enzimáticos melhoram a digestibilidade e desempenho nos suínos

Complexos multi-enzimáticos melhoram a digestibilidade e desempenho nos suínos

Equipe Adisseo
Diversidade microbiana intestinal de suínos e quadros de disenteria suína

Diversidade microbiana intestinal de suínos e quadros de disenteria suína

Amanda G. S. Daniel Roberto M. C. Guedes
Nutrição sustentável de suínos

Nutrição sustentável de suínos

Carlos Alexandre Granghelli Cristiane Soares da Silva Araújo Lúcio Francelino Araújo Luiz Antônio Vitagliano
Rotavirose suína: epidemiologia, patogenia, sinais clínicos, diagnóstico e controle da doença

Rotavirose suína: epidemiologia, patogenia, sinais clínicos, diagnóstico e controle da doença

João Paulo Zuffo Jônatas Wolf Ricardo Yuiti Nagae
Encontro Regional ABRAVES-PR 2022

Encontro Regional ABRAVES-PR 2022

Avaliação da eficácia de um inativador de micotoxinas frente a um adsorvente em leitões na fase de creche

Avaliação da eficácia de um inativador de micotoxinas frente a um adsorvente em leitões na fase de creche

Equipe técnica de suínos da Vetanco
A evolução da suinocultura brasileira e a  importância da realização do 10º IPVS (International Pig Veterinary Society) em 1988

A evolução da suinocultura brasileira e a importância da realização do 10º IPVS (International Pig Veterinary Society) em 1988

Luciano Roppa
A vida intrauterina pode influenciar o desenvolvimento gastrointestinal dos suínos?

A vida intrauterina pode influenciar o desenvolvimento gastrointestinal dos suínos?

Ana Luísa Neves Alvarenga Dias Fernanda Radicchi Campos Lobato de Almeida Fernanda Radicchi Campos Lobato de Almeida Letícia Pinheiro Moreira Thais Garcia Santos
Fêmeas hiperprolíficas: existe manejo ideal durante a lactação?

Fêmeas hiperprolíficas: existe manejo ideal durante a lactação?

César Augusto Pospissil Garbossa
Desequilíbrio entre a oferta e demanda de carne suína e os impactos na rentabilidade do setor

Desequilíbrio entre a oferta e demanda de carne suína e os impactos na rentabilidade do setor

Wagner Yanaguizawa

JUNTE-SE À NOSSA COMUNIDADE SUÍNA

Acesso aos artigos em PDF
Informe-se com nossas newsletters
Receba a revista gratuitamente na versão digital

DESCUBRA
AgriFM - Los podcast del sector ganadero en español
agriCalendar - El calendario de eventos del mundo agroganaderoagriCalendar
agrinewsCampus - Cursos de formación para el sector de la ganadería